5 Crimes de Natal

Crimes são normalmente considerados um assunto desagradável, principalmente numa época tão otimista e cheia de espiritualidade. Mas para pessoas que curtem ler sobre assassinos, detetives e bem, crimes, o texto de hoje é uma excelente pedida para acompanhar seu cafezinho e biscoito de gengibre.

Na minha pesquisa, descobri que muitos crimes curiosos já foram cometidos nesta época do ano, variando entre o furto de árvores de Natal e pessoas pisoteando outras em lojas para garantir presentes com os melhores preços. Descobri também outros crimes, como uma árvore feita de cannabis e um ladrão de bancos que se vestia de Papai Noel durante os roubos. Mas separei um top 5 para vocês, que variam entre casos bobos e verdadeiramente horrendos.

5- O presente errado que levou um casal ao tribunal

Isso aconteceu na cidade de Portsmouth, em New Hampshire, nos EUA. Uma mulher chamada Randi Young deu um Wii, jogo da marca Nintendo, para seu namorado, Heath Blom, que em vez de agradecer, reclamou que queria um avião de controle remoto. Furiosa, a mulher decidiu ir embora, quando o namorado a segurou pelos cabelos. Ela virou e bateu nele, fazendo com que os dois ficassem machucados e abrissem processos um contra o outro. Quando entrevistada, Young disse “tivemos um Natal ruim”.

4- Uma trágica briga de casal

Um homem chamado Justin Lee Klopp perdeu a cabeça durante uma briga com a esposa, no Natal, e acabou assassinando-a com um machado. Ele enrolou o corpo dela, o escondeu, e depois levou os dois filhos do casal, de idades 2 e 5, para comemorar o Natal na casa dos avós. Ele então telefonou para a polícia e confessou o crime. Pouco tempo depois, na prisão, ele cometeu suicídio.

3- Kill Bill

No Natal de 2013, na Australia, um homem chamado William ‘Bill’ Stevenson decidiu passar a data com seus amigos viciados,  Danielle Kerr e Darren Lewis. Foi uma péssima ideia, já que o casal, sem motivo aparente, assassinou Bill usando uma pedra grande contra sua cabeça e depois o esfaqueou. Eles incendiaram o carro onde o corpo estava e voltaram para casa, a pé, normalmente. Os dois foram presos.

2- Um spree-killing macabro

Um spree-killer é uma pessoa que tem um surto e sai matando outros, em locais diferentes, como expliquei neste post. Mas o caso de Ronald Gene Simmons vai além. Ele entrou numa firma de advocacia no dia 28 de dezembro de 1987 e matou uma recepcionista que havia negado suas paqueras. Ele então foi até outra empresa e atirou em dois funcionários, depois dirigiu até uma loja de conveniências onde havia trabalhado no anterior e atirou em mais duas pessoas. Ele atirou em mais uma mulher, que sobreviveu, em outra empresa, antes de sentar-se e esperar a polícia chegar. Foi descoberto que seis dias antes do spree-killing, ele havia atirado na própria esposa e a estrangulado, além de ter matado os seis filhos do casal. Ele ficou na casa, com os corpos, por quatro dias! No dia 26 de dezembro, mais nove parentes apareceram na casa para visitar a família, incluindo os netos de Ronald Simmons. Ele matou todos. No total foram 16 pessoas assassinadas no Natal. Ele foi condenado a morte por injeção letal com permissão do governador de Arkansas, na época, Bill Clinton. Foi executado em 25 de Junho de 1990.

JonBenet

A mais famosa história de crime natalino é a tragédia da JonBenet Ramsey, que ocorreu no Natal de 1996. Até hoje o assassino (ou assassinos) não foram descobertos e documentários, séries, livros e artigos já esmiuçaram os detalhes da história. Basicamente, a mãe de JonBenet declarou que a menina, de seis anos, havia desaparecido e que uma carta pedindo dinheiro fora deixada na casa. O pai de JonBenet encontrou o corpo da menina no porão ao procurar por ela pela casa da família. A menina tinha sido estrangulada e alguém havia batido na cabeça dela.


Muita gente da cidade foi investigada, inclusive pessoas que já tinham fichas na polícia por abuso de menores e um homem que havia feito o papel de Papai Noel numa das festas de Natal da família naquele ano, Bill McReynolds, que morreu em 2002, ainda jurando ser inocente. A polícia não conseguiu evidências suficientes para culpar alguém pelo crime, nem contra os principais suspeitos, os pais e até o irmão mais velho da menina. O caso ficou frio e é improvável que será resolvido.

Queridos, como este é meu último post antes do Natal, ficam aqui registrados meus desejos de que todos vocês tenham uma virada de ano segura e divertida. Ainda vai ter post de retrospectiva, então voltem para o blog <3


Obs: Este post foi originalmente criado para a quinta edição da newsletter Crime Scene Lovers. Para receber conteúdo antes de todo mundo, incluindo conteúdo exclusivo para assinantes, é só clicar aqui. Leva 1 minuto, é 100% gratuito e a newsletter não vai te pentelhar - ela fica sentadinha no seu email para quando você estiver no clima para ler.

16 visualizações