Meus 10 Personagens Preferidos

Esta não é uma lista de personagens bem escritos, e muito menos clássicos. Eu poderia falar de Tom Ripley, Pip, Elizabeth Bennet e Raskolnikov, ou até um dos detetives clássicos como Sam Spade ou Ebenezer Gryce. Mas a verdade é que muitos dos meus livros preferidos, como As Cinzas de Angela, Precisamos Falar Sobre o Kevin e Jazz Branco não têm personagens que eu diria “adorar”.


Portanto, aqui vai uma lista de 10 personagens por quem eu nutri, durante a leitura, sentimentos bons – mesmo que alguns deles sejam “maus”.


Stella Mayfair


A saga das Bruxas Mayfair, da Anne Rice, oferece muitos personagens inesquecíveis, como Michael Curry, Rowan Mayfair e meu querido Oncle Julien, mas Stella ganha de todos para mim. Embora apareça muito pouco na trama, só o fato de ter sido bissexual e enchido piscinas com champanhe em festas aleatórias na casa de First Street, ela ganha o prêmio. Os livros giram em torno de uma família de bruxas bilionárias em Nova Orleans, que herdam não apenas os poderes e a fortuna, mas também um espírito sedutor, Lasher, que só tem uma missão: encarnar como humano, nascido da 13ª herdeira. Já devo ter lido cada volume umas três vezes e recomendo de joelhos, mãos em súplica e olhos do Gato de Botas do Shrek.


Angie Polaski


É uma escolha duvidosa, afinal, Angie está longe de ser um exemplo de ser humano. Mas quem não tem uma queda por mulheres arrogantes, sensuais e corajosas que se recusam a ser heroínas? Angie joga sujo e quebra as regras, mas há algo nela que eu adoro, e é por isso que a esposa perfeita da série Will Trent (da Karin Slaughter) é uma personagem inesquecível.


Scout Finch


Eu realmente fiquei na dúvida sobre quem colocaria nessa lista, do meu segundo livro preferido, O Sol é Para Todos (Harper Lee): Scout ou Atticus Finch? Por um lado, eu me encantei pelo advogado viúvo com forte compasso moral e que cuida tão bem dos seus filhos. Mas Scout é uma beleza de personagem, narrando o livro com toda sua sabedoria infantil e se tornando uma das mais especiais e queridas personagens da literatura.




Morgana le Fay


A filha de Gorlois e Igraine, Morgana, é a narradora de As Brumas de Avalon (Marion Zimmer Bradley). O desenvolvimento da personagem, que começa a narrativa ainda antes de nascer e termina como anciã, é comovente e humana, enfrentando os dilemas comuns às mulheres, como as relações amorosas e familiares, as paixões, maternidade, lealdade, casamento e religião. Claro que tudo isso num contexto mais hardcore: a Camelot do rei Artur.


Gabrielle de Lioncourt


Sim, eu também fiquei com vontade de colocar Lestat na lista, mas a mãe dele é melhor. Gabrielle é um enigma nos livros das Crônicas Vampirescas da Anne Rice, sendo transformada em vampira pelo próprio filho num beijo sangrento e incestuoso. A vontade de Gabrielle de ser livre é algo que faz muito sentido para nós, mulheres, assim como o conflito entre esse desejo e a lealdade ao filho. Além disso, quem mais chamaria Akasha de vadia?


Dolores Claiborne


Entre as personagens femininas de Stephen King, a Dolores é uma verdadeira obra de arte. O livro em português ficou como Eclipse Total, e faz par com Jogo Perigoso. A narrativa de Dolores é deliciosa: ela está contando a vida inteira numa delegacia de polícia, sendo acusada de assassinato. A força da personagem é tão simples, tão real, que o tempo todo realmente acreditamos estar conversando com uma pessoa que existe fora do livro.



Mark Petrie


Outra criação de King, Mark Petrie é um menino no livro Salem (A Hora do Vampiro, para alguns). Fica difícil explicar meu carinho por ele, num livro com tantos personagens interessantes, mas Mark me lembra muito meu filho mais velho, e inspirou meu personagem Louie, de Massacre no Acampamento Pornô.


Jack Reacher


Nem todo mundo curte protagonistas “montados” como Reacher: forte, honrável, inteligente, bom de briga e corajoso. Ele parece um pacote completo de clichês. Mas eu gosto muito dele e da disposição que tem para entrar em tretas homéricas para fazer a coisa certa. A narrativa calculada do Lee Child chegou a me incomodar por vezes, mas a gente se acostuma.




Will Trent


E falando em homem forte com compasso moral, meu querido disléxico Will Trent, da Karin Slaughter, entra na lista para representar aquele tipo de homem com traumas no passado e sem noção de como lidar com mulheres, mas que sempre faz a coisa certa. Eu sem dúvidas tenho um crush por ele e seu corpitcho cheio de cicatrizes e marcas de choques elétricos.


Victoria McQueen


NOS4A2, infelizmente traduzido para Nosferatu no Brasil, é o meu livro preferido do Joe Hill, e um dos preferidos da vida. Além de ter personagens interessantes, que vão muito além da protagonista, eu senti que a história era única e criativa, e isso é raro hoje em dia. Mesmo com personagens secundários muito bem construídos e um vilão inesquecível, é a principal - rebelde, confusa, corajosa, porra louca e REAL, Vic McQueen, que me faz querer reler o livro todos os anos perto do Natal.


Menção honrosa: Billy Pilgrim


Escolha curiosa, eu admito, mas existe algo de encantador na leveza com a qual Billy Pilgrim, de Matadouro 5 (Kurt Vonnegut), encara suas viagens pelo tempo e sua estadia num zoológico alienígena. Há algo de espirituoso e inocente no personagem que torna praticamente impossível desgostar dele. Na hora de fazer a lista eu pensei nas leituras mais gostosas que eu fiz acompanhando alguém, e com isso em mente, seria injusto deixar Billy de fora.


Quais são os personagens preferidos de vocês?

52 visualizações