Como lidar com um passivo-agressivo

Eles provocam e insultam rotineiramente - e no final, se fazem de vítimas


Você sem dúvidas conhece uma pessoa passiva-agressiva. E se como eu, você é transparente e sincero, as chances são que você já tenha mandado um passivo-agressivo para a pqp. O único problema é que o que o passivo-agressivo mais quer é sua explosão. E como não queremos dar ao desgraçado o que ele quer, aqui ficam minha dicas para lidar com gente assim.



Quais são as características do comportamento passivo-agressivo?


Sabe aquela tia que chega e fala: “Esse vestido é lindo, esconde bem sua barriguinha!”?


O comportamento passivo-agressivo acontece quando a pessoa agride você, propositalmente, mas de uma forma tão “light” que só você (e talvez alguns amigos que conhecem o contexto histórico) vai perceber. São provocações leves, mas constantes, que inevitavelmente vão levar a um confronto.


Conheço um cara que é a pura definição de passivo-agressivo. Uma das coisas que ele faz é só aparecer nos grupos para compartilhar algum anúncio quando outra pessoa acabou de fazer o mesmo. Isso significa que ele pode estar inativo num grupo de Whatsapp há quatro ou cinco dias. Mas no exato momento em que uma pessoa anuncia um lançamento ou campanha, ele vai lá e posta algo semelhante para roubar a atenção. Ele fez isso tantas vezes que já virou motivo de ódio coletivo em muitos círculos. O problema é que o passivo-agressivo gosta de saber que incomoda.


Nem todo passivo-agressivo é um fdp


O passivo-agressivo é muitas vezes um covarde extremamente infeliz cuja única forma de conseguir envolvimento com as pessoas é por meio de insultos e provocações – ele só consegue chamar atenção assim. Mas algumas pessoas têm comportamento passivo-agressivo por terem vindo de ambientes onde a raiva era vista como algo errado ou tabu e onde evitava-se confrontos a qualquer custo. Conheço algumas famílias assim, que na intenção de mostrar ao mundo que são famílias perfeitas, evitam qualquer tipo de briga. O resultado é desastroso, não só para a saúde das pessoas envolvidas, mas também para as relações entre elas, que vão ficando cada vez mais carregadas de ressentimentos e mágoas. Nenhuma relação se sustenta por muito tempo sem honestidade. Eu prefiro brigar. A briga nos leva a um ponto de escolha: afastar-se ou perdoar. E os dois caminhos levam a uma melhoria considerável para quem escolhe.


O ponto de ebulição


Por que um passivo-agressivo geralmente vence? Porque as outras pessoas não conhecem o contexto. Como o histórico de provocações não aconteceu com eles, ele não foi notado e dessa forma, quando você surtar, as pessoas vão achar que seu comportamento foi “emocional demais”, “exagerado” e “agressivo sem necessidade”. Se você for uma mulher, triplique a quantidade de críticas que irá receber.


O que o passivo-agressivo quer é justamente isso: que ele pareça uma vítima e você um descontrolado. Ele conta com isso. Não dê isso a ele.



Como agir com um passivo-agressivo?

Algumas dicas de quem já falhou miseravelmente, mas finalmente aprendeu

  • Não caia na provocação dele. Quando feita on-line, deixe-o no vácuo, faça logoff e vá curtir sua vida. Quando feita pessoalmente, responda como se não houvesse histórico entre vocês. Ou seja, no caso da tia acima, responda apenas: “Obrigada, eu também acho!”

  • Se a provocação for impossível de ser ignorada, expresse, de forma bem direta e assertiva (mas sem pirar na batatinha, mesmo que você tenha todo o direito de pirar; lembre-se que é isso o que ele quer) que aquele comentário ou comportamento fere você e que você não quer que se repita.

  • Se precisar confrontar um passivo-agressivo, principalmente em público, lembre-se de falar mais sobre você e como se sente/como é prejudicado pelas ações dele, do que fazer acusações diretas. Ou seja, use mais “eu” do que “você”, para que as outras pessoas não enxerguem você como o vilão (justamente o que o passivo-agressivo quer).

  • Por mais que seja a vigésima vez que o passivo-agressivo faça a mesma provocação, lembre-se que os outros provavelmente não sabem disso. Então lide com ela como se fosse a primeira vez. Reaja ao contexto presente, não ao histórico de vocês.

  • Seja tão frio quanto ele. Não, eu não acho que você não tenha direito a sua raiva e não prezo frieza acima de sentimentos e reações sinceras e humanas. Mas guarde essa coisa que você tem, esse verdadeiro tesouro que é sua humanidade, para quem merece. Não deixe que o passivo-agressivo use-o contra você. O legal dessas pessoas é que são previsíveis. Então prepare-se, mentalmente, para não se afetar e não entrar no jogo deles.

Obs: Este post está escrito há um mês e não tem intenção de servir como indireta para qualquer pessoa (até porque isso seria um comportamento passivo-agressivo, haha).

216 visualizações3 comentários