10 Thrillers eróticos para dormir sorrindo

Atualizado: 12 de Nov de 2019

Alguns dos melhores filmes que misturam crimes com sexo


Os thrillers eróticos são aqueles filmes e livros que misturam uma dose generosa de sexo com suspense, muitas vezes pendendo fortemente para uma trama policial. Eu particularmente adoro esse tipo de filme, e assim nasceu esta lista. Confira os mais legais:


Corpos Ardentes: Esse filme é um baby-maker. Um dos filmes mais sexy (não existe plural dessa palavra, gente) que já vi na vida. Tem a Kathleen Turner e o William Hurt (me segura), numa trama clássica: ela se envolve com ele e os dois planejam matar seu marido rico. MAS esse filme é tensoooo e cheio de reviravoltas, com um final que me fez sorrir, mesmo sabendo que era errado. O que é esse homem atirando aquela cadeira contra aquele vidro? Meu Deus. Ah, e o filme ainda tem o Richard Crenna (Lembra do Trautman, do Rambo?), Ted Danson e o Mickey Rourke.



Atração Fatal: Outro que já virou um clássico, quase uma “cautionary tale”, como a maioria dos filmes do Adrian Lyne. A mensagem é bem clara: não traia. Ao mesmo tempo, o filme alimenta aquele estereótipo da mulher louca de amor. Nele, o personagem do Michael Douglas (o rei do sexy thriller) tem um caso com uma colega de trabalho. Só que ela começa a persegui-lo e envolve sua esposa, filha e até o pet da família na parada. Tenso. Glenn Close foi indicada para o Oscar pela performance dela.



Instinto Selvagem: Recentemente a Sharon Stone ganhou o prêmio da GQ de Mulher do Ano e fez um discurso emocionante sobre o momento que mudou sua vida: a cruzada de pernas que a tornou uma estrela, mas também uma piada. A verdade é que Katherine Tramell é uma das minhas personagens preferidas, uma escritora psicopata de livros policiais que curte matar homens durante o sexo. Por mais que a transa entre ela e o detetive Nick (oi Michael Douglas de novo) seja meio decepcionante (mas um “bom começo”), o filme é um suspensezinho legal.




Assédio Sexual: outro filme quente com o Michael Douglas, desta vez com ambientação corporativa e questões interessantes sobre assédio como forma de reforçar poder e domínio, e não interesse sexual. No filme, Demi Moore é ex-namorada de Michael e passa a ser sua chefe. Os dois não se viam há anos, e agora ele está casado e feliz, mas ela não está muito a fim de ouvir “não” como resposta. Ela dá um discurso sobre ser uma mulher sexualmente agressiva que é quase um manifesto. Ótimo filme.


Michael mais uma vez cumprindo hora extra...

Garotas Selvagens: vencedor de melhor beijo no MTV Movie Awards, esse é um filme quase debochado que te joga um plot twist em cima de outro do meio para o final. Motivos para assistir: o beijo triplo entre Matt Dillon, Neve Campbell e Denise Richards, o Matt Dillon, o Matt Dillon, o Kevin Bacon fazendo nu lateral no banho e Bill Murray.




Infidelidade: É muita Diane Lane para meu caminhãozinho. Um plot básico em outro filme onde o Adrian Lyne pede para que não sejamos infiéis: uma dona de casa meio entediada e cheia da grana não acha Richard Gere o suficiente e pula a cerca com um rapaz mais jovem por quem chega a se apaixonar. Tem sexo de todas as formas aqui: na escada do prédio, banheiro público, etc, mas no meio chega o plot twist que não é bem um twist, e aí começa o suspense. Eu amo o final aberto.



De Olhos Bem Fechados: Uma trilha sonora maravilhosa e sexo ritualístico. No meio de tudo isso o Tom Cruise confuso, mas excitado, e uma Nicole Kidman tão magrinha que dá vontade de alimentar. O que eu mais amo nesse filme é a desmistificação de mulheres e seus papéis de puta, esposa, filha e ninfeta. Nenhuma é o que os homens esperam que sejam, e isso é sensacional.



Proposta Indecente: Outro filme com um triângulo no qual você só pensa: “por que brigar, pula todo mundo na cama logo”. Demi Moore e Woody Harrelson se amam, mas como a vida real nos ensinou, o casamento fica meio abalado quando a gente tá fodido de grana. É nesse contexto que eles decidem ir para Las Vegas tentar a sorte e perdem toda a grana que têm. Aí vem o Robert Redford (uma uva passa que ainda queremos chupar), multimilionário, e faz a proposta: “um milhão de dólares por uma noite com sua esposa”. Claro que é machista, mas o filme tenta deixar isso claro também. This is no ordinary love.



Invasão de Privacidade: Um dos meus preferidos da lista. Sharon Stone está no seu auge e trabalha como editora de livros. Ela se muda para o apartamento onde uma mulher foi assassinada e logo se envolve com o Billy Baldwin (como ele era lindo). Aí ela descobre que todos os apartamentos do prédio contêm câmeras e que todos estão sendo espionados o tempo todo. O final é meio besta, mas o resto vale a pena.



Intersection: Uma Escolha, Uma Renúncia. Vamos ao elenco de figurinhas carimbadas do sexy thriller: Richard Gere e Sharon Stone. Nesse filme o Richard Gere está separado da esposa (Sharon) e namorando com uma mulher mais “loucona e cheia de vida” (Lolita Davidovich). Só que ele tá naquelas de não saber com quem ficar, quando sofre um acidente. Eu gosto muito do final desse filme.


Contribua com esta lista nos comentários: qual é o seu sexy thriller preferido?

69 visualizações