Natural de Santos, SP, Cláudia Lemes tem 40 anos e divide seu tempo entre seus três filhos, traduções, leituras críticas, edição de textos, escrita e o trabalho na associação ABERST, que idealizou e fundou em 2017. Ela tem história para contar: cresceu no Rio de Janeiro e em Torrance, na Califórnia, foi morar no Egito durante a Guerra do Golfo e já precisou evacuar a escola por ameaças de bombas, sobreviveu a dois fortes terremotos no Cairo, alguns eventos de violência traumáticos em São Paulo e muito, muito mais.

Alguns dos eventos de sua vida serviram de inspiração para seus livros. Lembrou-se do episódio de quase perder os dedos devido a frostbite quando era criança e visitava Yosemite e dessas lembranças nasceu o thriller Inferno no Ártico. Ser testemunha de violência doméstica na infância a motivou a escrever A Segunda Morte de Suellen Rocha. O estudo dos serial killers, por meio de cursos de perícia e psicologia e leitura intensa por mais de 15 anos a levou a escrever Eu Vejo Kate.

Iniciou sua carreira literária em 2014 com a publicação independente de Eu Vejo Kate, e logo foi contratada pela Editora Empíreo, que republicou a obra em 2015 e no ano seguinte, o policial noir Um Martíni com o Diabo. Cláudia fundou e presidiu por dois anos a ABERST: Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror, que hoje conta com cerca de 160 associados. Ela também publicou pela editora Lendari duas edições de Santa Adrenalina: Um Guia Para Quem Quer Escrever Thrillers.

 

Cláudia já organizou e participou de diversos eventos literários, deu workshops e palestras em instituições como SESC, SENAI, Porto Alegre Noir, TV Tribuna, Rádio CBN, 89FM, Rádio Geek, HorrorExpo, Unibes Cultural, TV Santa Cecília, FFLCH-USP e Santos Criativa Festival Geek.

Ela também traduziu e publicou pela Monomito Editorial a primeira edição brasileira do clássico da literatura policial, O Crime da Quinta Avenida, de Anna Katharine Green, a mãe dos romances de detetives e influenciadora de Arthur Conan Doyle e Agatha Christie. Cláudia já tem quatro financiamentos coletivos, todos bem-sucedidos.

Atualmente, autora mora em Santos com o marido Leandro, os três filhos, um gato e uma cobra. Ela faz pós-graduação em literatura contemporânea e está fazendo um curso técnico de auxiliar de necropsia. Para pesquisa, claro.

Obra:

Romances Publicados em inglês

The Woodsons: Dissolution (independente, 2013)

The Woodsons: Dalliance (independente, 2013)

The Woodsons: Absolution (independente, 2014)

Romances publicados no Brasil

Eu Vejo Kate: O Despertar de um Serial Killer (Empíreo, 2015)

Um Martíni com o Diabo (Empíreo, 2016)

Inferno no Ártico (independente, 2018)

Cartas no Corredor da Morte (com Paula Febbe, Monomito Editorial, 2019)

Eu Vejo Kate vol. 2: A Lua do Assassino (independente, 2019)

Não-ficção

Santa Adrenalina: Um Guia Para Quem Quer Escrever Thrillers (Lendari, 2ª edição 2019)

Organização e tradução

O Crime da Quinta Avenida, Anna Katharine Green (Monomito Editorial, 2018)

 

Organização e edição

Continuem nos Escutando (com Tito Prates, independente, ABERST, 2018)

Presentes Perigosos (com Tito Prates, Editora Constelação, 2018)

Mulheres vs. Monstros (independente, 2019)

Numa Floresta Escura (com Tito Prates, Editora Coerência, 2019)

Participação como convidada em coletâneas

O Corvo: Um Livro Colaborativo (Empíreo)

Mundo Invertido (Ed. Wish)

Creepy Pastas (Ed. Lendari)

Helloween (Ed. Coerência)

Narrativas do Medo (Neblina Negra)

Confinados (Monomito Editorial) – Introdução

Onda de Crimes (Avec)

Quando a Noite Cai (Obscurus)

Galeria Clarke de Suspense e Mistério (Ed. Wish)

III: A Hora Morta, vol. 2 (Ed. Luva)

Como editora do selo Morgue, da Editora Lendari

Se Eu Morresse Amanhã, de Fabiana Ferraz (2020)

Missão Terra Firme, de Vivianne Geber (2020)

Coletânea de contos autorais

Trabalhos Ocultos (independente, 2018)

YouTube

Serial Chicks, com Paula Febbe

Publicações inéditas

A Balada de Eliesse Butler

Publicações futuras

A Segunda Morte de Suellen Rocha

A Estrada das Lágrimas